15/10/2014

Teoria Dustan - Interpretar o choro do bebé


Imagine o cenário: são dez horas da noite, e depois de um dia exaustivo de trocas de fralda, de roupa, amamentação, o seu bebê começa a chorar, sem parar. Você tenta amamentá-lo novamente (as mães acham que é fome, normal), vê se a fralda está suja (e não estava), pensa que podem ser cólicas, ou que ele está com sono. Tenta de tudo, mas ele continua a chorar. Até que o bebê arrota e pára de chorar instantaneamente! Aí  pensa: por que esse bichinho aqui não veio com tradutor de choro?
Já ouviu falar na Linguagem Dunstan? Trata-se de uma teoria criada pela australiana Priscilla Dunstan, de que os bebês dos 0 a 3 meses comunicam através de sons reflexos (ou seja, não aprendidos e que por isso independem da língua materna dos pais). São 5 sons que expressam fome, cansaço, necessidade de arrotar, gases e desconforto (de outra origem) e que o bebê emite antes de começar a chorar desesperadamente. E quanto mais rápido os pais responderem a essa necessidade, seja através da amamentação, colocando-o para dormir, para arrotar, ou aliviando seu desconforto, menos choro e maior conforto para o bebê. 
De acordo com a linguagem Dunstan, os 5 sons básicos são:
- Neh: significa estou com fome
- Owh: significa estou cansado
- Heh: significa estou desconfortável (pode ser uma fralda suja, calor ou frio, por exemplo)
- Eairh: significa estou com gases (seria o caso de fazer uma massagem para aliviar o bebê)
- Eh: significa preciso arrotar
Pode parecer difícil de imaginar como são esses sons, mas pode ouvir alguns videos que existem no youtube. ena internet que dão uma ideia para as mães interessadas; vejam alguns links com exemplos bem práticos:




Por aqui tornou-se mais fácil de perceber as necessidades da pequena M. Experimentem a escutá-los ;)



Sem comentários:

Enviar um comentário